5 principais ameaças virtuais na sua empresa

Ameaças Virtuais Cybersecurity
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Junto das transformações tecnológicas estão os problemas que podem surgir com o seu uso. Não é preciso ser da área de TI (Tecnologia da Informação) ou especialista em Cybersecurity para sabermos o quanto as empresas hoje estão expostas às ameaças cibernéticas que visam o roubo de informações. Por isso, a segurança da informação também tem estado na lista das boas práticas para as empresas, seja ela para a infraestrutura local ou em nuvem.

Para que as ameaças virtuais sejam combatidas a empresa precisa traçar um panorama de estratégias que ajudem a diminuir e evitar ao máximo a entrada de softwares maliciosos, pois, como veremos, eles podem causar imensos prejuízos. Então, proprietários, diretores, colaboradores, devem estar todos envolvidos nisso.

Veja neste post cinco das ameaças virtuais que a sua empresa precisa ficar alerta e melhorar seus processos de cybersecurity.

Ransomware

O Ransomware quando consegue entrar no sistema, ele é capaz de criptografar todos os dados do HD. A ação dos bandidos é travar as informações por meio de uma chave, durante essa invasão, solicitando valores em moedas virtuais para liberar o acesso para a empresa. Muitas empresas já levaram grandes prejuízos, já que não há garantias de receber o acesso de volta mediante pagamento.

Phishing

Representando outro perigo para os empresários, o Phishing, visa roubar os dados cadastrais por meio dos e-mails enviados aos clientes. São links que parecem para compras, mas que na verdade direcionam o cliente para páginas que solicitam dados cadastrais para coleta e uso em outras fraudes.

Malwares

O Malwares é um tipo de software que visa controlar o sistema sem autorização da vítima ou de causar danos. Eles entram por meio de links maliciosos, sites de download, entre outros. São muito usados para derrubar sites importantes de organizações. Esses Malwares são muito comuns e muito presentes em sites impróprios.

Ataques a dispositivos IoT

A “Internet das Coisas” (Internet of Things) que representa um movimento atual da indústria, trouxe a integração de sistemas e uso intensivo de internet para os processos. Isso gerou uma série de hackers focados em usar esses novos recursos como porta de entrada para invasões e roubo de dados ou mesmo espionagem industrial, gerando grande trabalho de Cybersecurity nos ambientes de automação industrial.

Os ataques direcionados

Além dos softwares espalhados por sites e e-mails maliciosos, temos também formatos mais direcionados de ataques. Neles, os criminosos visam uma empresa específica e buscam recursos para derrubar defesas e roubar dados. São formas que atendem o perfil da empresa, estudando suas fraquezas e fazendo invasões.

Essas são as ameaças virtuais que mais chamaram a atenção nos últimos meses. Assim como a internet e os recursos tecnológicos de forma geral avançam, os criminosos que atuam com tecnologia, infelizmente, também se adaptam frequentemente. Por isso, é preciso investir sempre em segurança da informação ou cybersecurity

Contar com ajuda profissional para proteção dos dados é primordial. Para além disso, é preciso também alertar a todos das potenciais ameaças contidas no acesso aos sites e e-mails, sendo uma forma de “educar” a equipe para agir de forma preventiva em relação aos ataques. Isso deve vir das camadas mais altas da empresa até os colaboradores, para que assim as ocorrências de invasão diminuam.

Gostou? Veja mais artigos como este em nosso site!

Relacionados

Newsletter 4Matt

Materiais Gratuitos

Tenha acesso a E-Books, Infográficos, Webinars e Vídeos

Posts Relacionados

TerraForm Logo
Governança

Terraform para governança de custos Cloud

Se você chegou até este artigo sobre Hashicorp Terraform, são grandes as chances de você ter responsabilidades DevOps (ou arquitetura Cloud) e está se perguntando:

Flexera Software
Governança

Flexera Software

A Flexera Software foi líder global no quadrante mágico do Gartner nos anos de 2018 e 2019 em soluções de Gerenciamento de Ativos de Software

Oracle Cloud
Governança

Oracle Cloud Infrastructure

A Oracle mudou sua estratégia de nuvem em 2020. A AWS, Microsoft Azure e Google Cloud Platform dominam o mercado público de nuvem, com 60%