4Matt Tecnologia

6 Práticas para Garantir a Segurança com ITAM

A Gestão de Ativos de Tecnologia da Informação (ITAM) é um conjunto de práticas comerciais que une as funções financeiras, de inventário, contratuais e de risco para gerenciar o ciclo de vida dos ativos de TI e tomar decisões estratégicas para a empresa. O ITAM é crucial para qualquer organização, pois ajuda a garantir que os ativos de TI estejam devidamente documentados, utilizados e protegidos, maximizando o valor e minimizando os riscos associados.

No entanto, a segurança em ITAM é uma necessidade premente. Com o aumento das ameaças cibernéticas e a dependência cada vez maior das tecnologias de informação, garantir a segurança em ITAM tornou-se uma prioridade para as organizações. Este artigo irá explorar seis práticas essenciais para garantir a segurança em ITAM, ajudando as organizações a proteger seus ativos de TI e a operar de forma mais eficiente e segura.

Segurança em ITAM

1. Inventário Completo

Ter um inventário completo de todos os ativos de TI é como ter um mapa claro de todo o tesouro tecnológico da organização. Ele mostra onde estão todos os dispositivos, software e recursos de rede, garantindo uma visão clara dos itens à disposição. Isso não só ajuda na gestão eficaz dos recursos, mas também evita desperdícios de investimentos em tecnologias desnecessárias.

Para manter esse inventário atualizado é necessário cuidado e atenção contínuos. Isso significa implementar processos e ferramentas que ajudem a acompanhar constantemente novos ativos, atualizações e mudanças na infraestrutura de TI. Automatizar essa tarefa sempre que possível poupa tempo e esforço, garantindo que o mapa tecnológico esteja sempre preciso.

Além disso, é importante que todos na equipe saibam quem são os responsáveis pelo inventário e que recebam o treinamento necessário para mantê-lo em dia. Isso inclui seguir políticas de uso de ativos de TI, realizar auditorias regulares e integrar o inventário com outras ferramentas de gerenciamento e segurança de TI.

2. Políticas e Procedimentos

As políticas e procedimentos dão um guia claro sobre como lidar com nossos recursos tecnológicos, desde o momento em que entram na organização até quando saem, garantindo que todos saibam exatamente o que fazer.

Essas diretrizes não são apenas úteis para manter as coisas organizadas, mas também são essenciais para a segurança da equipe. Elas ajudam a controlar quem pode acessar os ativos de TI, como devem ser usados e protegidos, e quais medidas tomar se algo der errado. É como ter um plano de emergência em caso de problemas.

Além disso, as políticas e procedimentos ajudam a implementar práticas de segurança importantes, como proteger os dados com criptografia e garantir que apenas as pessoas certas tenham acesso aos sistemas. Quando todos na equipe conhecem e seguem essas diretrizes, a corporação se torna mais resilientes contra ameaças cibernéticas e outros perigos potenciais

3. Treinamento e Conscientização

Entender a importância do treinamento e da conscientização dos colaboradores sobre as políticas de ITAM é como garantir que todos estejam na mesma página em um projeto importante. Esse treinamento ajuda a criar uma cultura de segurança cibernética em toda a organização.

Ao educar os colaboradores sobre as políticas de ITAM, estamos fornecendo-lhes as ferramentas necessárias para proteger os ativos de TI de forma eficaz. Eles aprendem como identificar possíveis ameaças e como agir de acordo com as políticas estabelecidas para prevenir violações de segurança.

Além disso, o treinamento e a conscientização ajudam a construir uma equipe mais vigilante e responsável. Quando todos estão cientes dos riscos de segurança e entendem como suas ações podem impactar a segurança dos ativos de TI, tornam-se defensores ativos da segurança cibernética da organização. É como transformar cada colaborador em um guarda de segurança virtual, protegendo os dados e sistemas contra ameaças externas.

4. Monitoramento Contínuo

O monitoramento contínuo permite detectar qualquer atividade suspeita ou incomum nos sistemas, ajudando a identificar potenciais ameaças de segurança antes que elas se tornem um problema maior.

O monitoramento contínuo é como ter um sistema de alarme que avisa imediatamente se algo estiver errado. Ao acompanhar de perto o tráfego de rede, o acesso aos dados e o comportamento dos usuários, é possível identificar padrões incomuns que podem indicar uma possível violação de segurança. Isso permite agir rapidamente para conter a ameaça e proteger nossos ativos de TI.

Os benefícios do monitoramento contínuo não acabam aí, ao analisar regularmente os dados coletados e identificar tendências de segurança, é possível ajustar as políticas e procedimentos conforme necessário para fortalecer ainda mais a segurança.

5. Atualizações e Patches

Manter todos os ativos de TI atualizados e aplicar patches de segurança regularmente é fundamental para garantir a integridade e a proteção dos sistemas e dados. Isso envolve manter o software e os sistemas operacionais em suas versões mais recentes, implementando todas as correções de segurança disponíveis.

Essas atualizações e patches são como uma barreira de proteção contra ameaças cibernéticas. Eles corrigem falhas conhecidas e fecham possíveis brechas que poderiam ser exploradas por hackers para comprometer os sistemas.

As atualizações e patches também contribuem para a segurança a longo prazo. Ao acompanhar regularmente as últimas atualizações de segurança e aplicá-las de forma diligente, garantimos que os sistemas permaneçam protegidos contra as ameaças em constante evolução do cenário cibernético.

6. Auditorias Regulares

Realizar auditorias regulares é essencial para garantir a prática das políticas de ITAM e manter a conformidade na organização.

As auditorias permitem identificar possíveis lacunas ou falhas nos processos de segurança, como dispositivos desatualizados, acesso não autorizado ou configurações incorretas. Ao destacar essas áreas de preocupação, as auditorias permitem tomar medidas corretivas para fortalecer a segurança.

Além disso, as auditorias regulares não apenas identificam problemas de segurança, mas também ajudam a corrigi-los. Ao implementar as recomendações resultantes das auditorias, estamos proativamente fechando as brechas na segurança e fortalecendo as defesas contra possíveis ameaças. É como fazer uma manutenção preventiva nos sistemas de segurança, garantindo que eles estejam sempre prontos para enfrentar qualquer desafio que possa surgir.

Conclusão

Manter a segurança em ITAM não é apenas uma preocupação isolada, mas uma parte essencial para a saúde geral da infraestrutura de TI de uma organização. Cada uma dessas práticas desempenha um papel crucial na proteção dos ativos de TI contra ameaças cibernéticas e na manutenção da integridade e segurança dos sistemas e dados. Ao implementar e seguir essas práticas, as organizações podem fortalecer suas defesas contra ameaças em constante evolução e garantir a continuidade operacional de seus negócios.

Se sua empresa precisar de apoio para implementar ou aprimorar suas práticas de segurança em ITAM, estamos à disposição para oferecer nossa expertise e auxílio. Entre em contato conosco clicando aqui para saber como podemos ajudar a fortalecer a segurança da sua infraestrutura de TI.

Esperamos que este artigo forneça uma visão abrangente das práticas de segurança em ITAM e destaque nossa disponibilidade para apoiar sua empresa nesse processo. Se precisar de mais informações ou assistência, não hesite em nos contatar. Estamos aqui para ajudar!

Tags: ServiceNow, Snow Software, Gestão de Ativos de Software, Software Asset Management, SAM, FINOps, ITAM, ITSM, Flexera, Cloud Management, fale conosco, modelagem de dados, processos de ITSM, andar, correr e voar, configuration management database cmdb, modelo CSDM, gerenciamento ITSM, governança, base de dados de gerenciamento de configuração (CMDB), itens de configuração, dados da CMDB, gerenciamento de incidentes, infraestrutura de TI de organizações, práticas de ITSM, gerenciamento de ativos, ativos de ti itam, proteção de dados, recursos de ti, ativos de software, dispositivos móveis, ti sejam, única plataforma, gerenciamento de vulnerabilidades, ativos de hardware, recursos humanos, operações de ti, gerenciamento de mudanças, gestão eficiente, bancos de dados, ciclos de vida, gestão de ativos

Posts Relacionados

Gerenciamento de Ativos em Cibersegurança: Proteja sua Empresa

O gerenciamento de ativos em cibersegurança, também conhecido como CSAM (Cyber Security Asset Management), desempenha um papel crucial na proteção dos ativos digitais de uma empresa. Através desse processo, é possível não apenas identificar e classificar os ativos de informação, mas também monitorá-los de forma contínua e eficaz, garantindo a

Leia mais »

Desvendando o CMDB: Guia Completo de Perguntas Frequentes

Neste artigo, exploraremos o mundo do CMDB (Banco de Dados de Gerenciamento de Configuração), respondendo às perguntas mais comuns sobre este importante aspecto da gestão de TI. Do significado básico às melhores práticas e sua implementação, vamos mergulhar nas questões essenciais relacionadas ao CMDB. 1. CMDB significa? CMDB é a

Leia mais »

CSDM e ServiceNow: Otimize o Gerenciamento de Serviços!

O Common Service Data Model (CSDM) na ServiceNow é uma estrutura padronizada que ajuda as organizações a estruturar e gerenciar seus itens de configuração (CIs), CMDB (Configuration Management Database) e serviços dentro da plataforma ServiceNow. Ele fornece uma maneira consistente de definir e relacionar diferentes aspectos de serviços de TI

Leia mais »