Controle de custos: como aplicar no setor de TI?

controle de custos
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Toda empresa busca fazer um controle de custos. Porém, é preciso fazer isso com um enorme cuidado. Cortar os custos de maneira errada, pode apresentar problemas grandes no futuro, por exemplo, eliminando ferramentas que poderiam ser essenciais. Então, para fazer isto com mais segurança, confira como aplicar o controle de custos no setor de TI.

Encontrando soluções eficientes

Convenhamos que os custos de TI não são baratos. Porém, sem eles é praticamente impossível ter uma empresa funcional. O mercado, e os próprios clientes, estão dependentes da tecnologia, mas isso não significa que não existe espaço para melhorar. Fazer um controle de custos pode ser a resposta ideal.

Por exemplo, um dos maiores custos das empresas no setor de TI é com os próprios colaboradores. Neste caso, fazer cortes pode apresentar um problema maior do que uma solução.

As empresas podem se ver na tentação de cortar os funcionários mais seniores para substituí-los por juniores. É uma redução de custos imediata, mas que pode ser um grande tiro no pé, pois sem os melhores colaboradores, o trabalho é prejudicado. Por isso, uma dica é evitar ao máximo possível cortar custos cortando o talento.

Tenha o máximo de informações

Portanto, se você irá procurar outras formas de controlar os custos, é preciso fazer isso com toda a informação possível. Um bom primeiro passo, é estabelecer certas métricas para medir o desempenho e o retorno das atividades feitas dentro do setor. Esta é uma forma mais eficiente de controlar e cortar, os custos.

Por exemplo, ROI é um KPI bem básico que permite calcular o retorno do investimento feito no setor. Sua fórmula é bem simples e ele dá uma ideia bem básica de quanto o TI contribui para o todo. Este KPI ajuda a entender o desempenho do setor de forma global, apesar de ser mais “genérico”.

Já o Mean Time to Repair, é um exemplo de uma métrica um pouco mais específica que ajuda a determinar o tempo em que um problema é reportado ao setor, até o momento em que ele está resolvido.

Enfim, existem diversas métricas que podem ser implementadas dentro do setor. Assim, é possível medir o desempenho e controlar os custos com aqueles que estão com uma performance abaixo do esperado.

Use o ambiente adequado para a sua infraestrutura

Outra grande fonte de custos para o setor de TI é a própria infraestrutura da mesma. Afinal, é preciso ter todas as funcionalidades necessárias para que a empresa exerça suas atividades. Mas uma forma de controle de custos é escolher e dimensionar o ambiente ideal.

Atualmente, existem 3 tipos de ambientes que podem armazenar uma estrutura de TI, o on premises, a nuvem e o híbrido. Como estas tecnologias ainda são novas, é comum as empresas não terem um noção exata de qual é a vantagem de cada um e de como eles podem ser aplicados de maneira ideal para cada negócio.

Também é importante ter medidas de compliance, para garantir que o uso de cada plataforma é feito de forma ideal, segura e sem desperdícios.

Fazer o controle de custos dentro do setor de TI é extremamente importante e não é necessário sacrificar produtividade. Quer saber melhor como fazer isso? Então, acesse o nosso site e confira os conteúdos e, caso tenha alguma dúvida, entre em contato com um de nossos consultores!

Relacionados

Newsletter 4Matt

Materiais Gratuitos

Tenha acesso a E-Books, Infográficos, Webinars e Vídeos

Posts Relacionados

TerraForm Logo
Governança

Terraform para governança de custos Cloud

Se você chegou até este artigo sobre Hashicorp Terraform, são grandes as chances de você ter responsabilidades DevOps (ou arquitetura Cloud) e está se perguntando:

Flexera Software
Governança

Flexera Software

A Flexera Software foi líder global no quadrante mágico do Gartner nos anos de 2018 e 2019 em soluções de Gerenciamento de Ativos de Software

Oracle Cloud
Governança

Oracle Cloud Infrastructure

A Oracle mudou sua estratégia de nuvem em 2020. A AWS, Microsoft Azure e Google Cloud Platform dominam o mercado público de nuvem, com 60%