Logo Principal Roxo 1

Entenda as diferenças entre ISO 55000 e ISO 55001

Compartilhe em facebook
Compartilhe em google
Compartilhe em twitter
Compartilhe em linkedin
Compartilhe em email

Quanto mais uma empresa cresce, maior será a quantidade de ativos para gerenciar. Por mais que isso pareça óbvio, é muito importante que os administradores tenham ciência de boas práticas para evitar que equipamentos, software e outros itens não sejam usados corretamente. Esse é um dos fatores que fortalece a necessidade de adotar normas, como a ISO 55000 e ISO 55001.

Não há como ignorar que o aprimoramento da gestão de ativos é fundamental para seguir as melhores práticas do mercado no Brasil e no mundo. Adotar padrões internacionais que são referência, com certeza, é um aspecto que atrai investidores e consumidores, além de possibilitar um fortalecimento da marca.

Neste artigo, vamos apresentar vários detalhes que vão te ajudar a compreender pontos marcantes do que envolve a ISO 55000 x ISO 55001.

Gerencialmento de Ativos - ISO 55000

Entenda a gestão de ativos sob perspectiva da ISO 55000

Em primeiro lugar, é válido destacar que a gestão de ativos envolve vários segmentos, como atividades financeiras, operações, manutenção, gestão de risco, entre outros. Ou seja, trata-se de uma ação bastante estratégica para uma empresa identificar gargalos e oportunidades de melhoria.

Com um gerenciamento adequado dos ativos, é possível elevar o nível de competitividade e minimizar efeitos relacionados a turbulências econômicas que, infelizmente, afetam muitas companhias no mundo inteiro.

Para aprimorar a administração dos ativos, um bom caminho é apostar na ISO 55000, porque ela disponibiliza uma visão geral sobre os padrões ideais para manter os recursos disponíveis com um desempenho dentro ou acima das expectativas. 

A falta de atualização de um sistema ou a ausência de um cronograma de manutenção de equipamentos são ações que são facilmente combatidas, a partir do momento em que uma companhia segue regras específicas para ser reconhecida no mercado pela organização institucional e pela qualidade dos serviços.

Tudo isso mostra como investir na ISO 55000 é uma prática bastante recomendada, principalmente, para as empresas que estão em busca de um amadurecimento mais sólido na gestão de ativos.

Assimile a dinâmica da ISO 55001

Essa norma tem como uma das principais características determinar os parâmetros ideais para um sistema de gestão para a administração de ativos. Dessa forma, gera um enquadramento para a definição de governança, políticas e processos de gestão de ativos que possibilitam uma empresa estar mais conectada com os objetivos estratégicos.

A partir de um bom planejamento e um foco na melhoria contínua, a ISO 55001 pode promover a melhoria contínua da performance dos ativos. Esse é um ponto que deve fazer parte do mindset dos gestores, porque a falta de um olhar estratégico prejudica não apenas as finanças, mas também a capacidade de se adaptar a novos cenários. 

Com a transformação digital em evidência, é muito importante estar em conformidade com uma norma que propicia um gerenciamento mais eficiente dos ativos e uma evolução da cultura organizacional.

Com certeza, é uma iniciativa que também contribui para melhorar o relacionamento com os stakeholders (órgãos reguladores, consumidores, clientes etc.). Afinal, a ISO 55001 indica que uma empresa segue parâmetros de desempenho, custo e risco voltados para a melhoria da gestão dos ativos e dos serviços.

Vale lembrar que a ISO 55001 é uma norma reconhecida globalmente e que reflete a necessidade de as companhias estarem priorizando a eficiência, a redução de despesas e o uso mais racional dos recursos disponíveis.

Visualize diferenças entre ISO 55000 x ISO 55001

Com a ISO 55001, há um olhar mais atento sobre como aplicar o gerenciamento dos ativos dentro do cenário internacional. Sem dúvida, é uma ação que deve envolver toda a organização para saber como administrar os ativos e fazer com o que eles tenham um maior valor agregado.

Posto isso, vamos detalhar agora aspectos que diferenciam a ISO 55000 da ISO 55001. Leia com atenção, porque é uma forma de tirar as suas dúvidas.

Escopo

A ISO 55000 tem um direcionamento que envolve os ativos físicos como prioritários para uma companhia. Logicamente, é válido cuidar de equipamentos com bastante cuidado, porque eles influenciam na performance de uma equipe.

Por outro lado, é uma falha considerável não priorizar a importância dos sistemas para uma empresa estar mais conectada com a transformação digital. Em virtude disso, a implementação da ISO 55001 surge como uma demanda interessante, pois reforça a necessidade de cuidar das ferramentas digitais de maneira apropriada, fator muito relevante pela urgência em adotar boas práticas de segurança da informação. 

Contexto

Um dos pilares marcantes da questão que envolve ISO 55000 x ISO 55001 é o contexto organizacional. Dependendo do porte e do segmento de negócio, a ISO 55000 pode proporcionar um gerenciamento mais efetivo dos ativos em um primeiro momento.

Com a evolução tecnológica e uma digitalização mais efetiva dos processos, uma empresa precisa ter uma visão mais atenta sobre as vantagens ISO 55001, que está mais adequada aos padrões internacionais para gerar todos os ativos ligados ao segmento de Tecnologia da Informação.

Metas

Qual o objetivo da organização com o gerenciamento dos ativos? Dependendo do caso, a prioridade em reduzir custos com ativos físicos pode justificar um maior interesse em optar pela ISO 55000.

Por outro lado, a transformação digital exige das empresas um grande esforço em acompanhar novas tendências. Isso influencia na busca pelo aprimoramento contínuo, o que envolve bastante o uso de ferramentas tecnológicas avançadas.

Nesse cenário, é interessante adotar uma norma que esteja mais direcionada para o uso de soluções avançadas (softwares, hardwares etc.), porque contribui para uma administração dos ativos mais completa e consistente, algo que pode ser atingido com a ISO 55001.

Planejamento

Por ter um escopo menor, a ISO 55000 exige um planejamento mais concentrado para ativos físicos. Mesmo assim, é preciso haver critérios para as etapas ligadas à obtenção da certificação sejam concluídas de maneira exemplar. Afinal, uma instituição está investindo tempo e dinheiro para estar mais adequada aos melhores procedimentos do mercado.

Com a evolução no gerenciamento institucional, cria-se um cenário mais favorável para apostar na ISO 55001. Nesse caso, um bom planejamento tem um grande peso para superar os obstáculos em busca de um padrão de excelência diferenciado na gestão de ativos.

Com um olhar mais direcionado em vários itens (máquinas, sistemas etc.), uma empresa se mostra mais apta a identificar o que pode ser feito não apenas para acompanhar o mercado, mas também para inovar e consolidar o crescimento sustentável.

Veja quem precisa da certificação ISO 55001

Hoje, é praticamente impossível ter uma empresa que não necessite de gerenciar e agregar valor aos ativos. A transformação digital mostrou como automatizar processos e melhorar o atendimento são fundamentais para expandir a carteira de clientes e elevar o nível de fidelização, aspecto essencial para uma marca ser mais reconhecida perante os stakeholders.

Esses fatores justificam o interesse de organizações de vários setores (saúde, recursos humanos, marketing, finanças, compras, indústria, entre outros) em aprimorar o gerenciamento de ativos a partir da implementação da ISO 55001.

Contudo, é muito importante avaliar em que patamar os ativos estão sendo administrados no momento. Assim, é possível escolher uma certificação que esteja mais adequada às necessidades do seu negócio. Por isso, é muito importante conhecer profundamente questões relativas sobre ISO 55000 x ISO 55001, para acertar na escolha da certificação mais indicada para a organização.

Histórico

A PAS 55 foi originalmente produzida em 2004 por várias organizações sob a liderança do Institute of Asset Management . Em seguida, passou por uma revisão substancial com 50 organizações participantes de 15 setores da indústria em 10 países. A PAS 55:2008 (disponível nas versões em inglês e espanhol) foi lançada em dezembro de 2008 junto com um kit de ferramentas para autoavaliação em relação à especificação. 

O PAS forneceu orientações e uma lista de verificação de requisitos de 28 pontos de boas práticas na gestão de ativos físicos ; normalmente, isso era relevante para serviços públicos de gás, eletricidade e água, sistemas de transporte rodoviário, aéreo e ferroviário, instalações públicas, indústrias de processo, manufatura e recursos naturais. Era igualmente aplicável ao setor público e privado, ambientes regulados ou não regulados.

A norma foi dividida em duas partes:

  • Parte 1 – Especificação para o gerenciamento otimizado de ativos de infraestrutura física;
  • Parte 2 – Diretrizes para a aplicação da PAS 55-1.

Também foi acompanhado por um Quadro de Competências abrangente para gestores de ativos.

A série ISO 55000

Estabelecido em agosto de 2010, o Comitê de Projeto ISO 251 realizou sua primeira reunião plenária em Melbourne, Austrália, no início de 2011; sua reunião final foi em Calgary no início de 2013. Após quase quatro anos de desenvolvimento, três padrões internacionais (55000/1/2) foram lançados em Londres em 5 de fevereiro de 2014:

  • ISO 55000:2014 Gestão de ativos – Visão geral, princípios e terminologia;
  • ISO 55001:2014 Gestão de ativos – Sistemas de gestão – Requisitos;
  • ISO 55002:2018 Diretrizes para a aplicação da ISO 55001 (veja abaixo a atualização de 2018).

Esses padrões estão disponíveis em inglês, francês, espanhol, russo, chinês, japonês, holandês, sueco, dinamarquês, português (Brasil) e português (Portugal), farsi, sérvio e finlandês. Em 2015, o Comitê Técnico ISO 251 foi criado para continuar trabalhando nos padrões de Gestão de Ativos e evoluindo os três padrões existentes. Em 2016 foi lançado o processo de revisão formal da ISO 55002. Em 2017 foram lançados dois novos projetos:

  • ISO/TS 55010: Orientação sobre alinhamento de gestão de ativos, finanças e contabilidade (publicada em setembro de 2019, veja abaixo);
  • ISO 55011: Orientação sobre o desenvolvimento da política de gestão de ativos do governo (meta para 2021).

ISO 55002:2018

Em novembro de 2018, foi lançada uma versão revisada e ampliada da ISO 55002:2018. Melhorias gerais incluem orientação detalhada expandida para cada cláusula do documento de requisitos 55001 e esclarecimento da contribuição de cada requisito para os quatro ‘fundamentos’ da gestão de ativos: Valor, Alinhamento, Liderança e Garantia. Ele também descreve como aplicar os requisitos da ISO 55001 aos principais domínios de gerenciamento de ativos:

  • O conceito de “valor” na gestão de ativos;
  • O escopo do Sistema de Gestão de Ativos;
  • O Plano Estratégico de Gestão de Ativos;
  • Tomada de decisão de gestão de ativos;
  • Gestão de risco no contexto da gestão de ativos;
  • Finanças na gestão de ativos;
  • Escalabilidade da ISO 55001 para organizações de todos os tamanhos.

ISO/TS 55010:2019

Em setembro de 2019, a ISO/TS 55010:2019 foi lançada. Esta Especificação Técnica é uma diretriz que permite às organizações entender melhor por que e como o alinhamento entre as funções financeiras e não financeiras é importante para obter valor dos ativos.

Avaliadores endossados

Institute of Asset Management desenvolveu esquemas de endosso para recomendar avaliadores competentes e provedores de treinamento. Os Parceiros Mundiais em Gestão de Ativos desenvolveram um esquema de certificação Certified Asset Management Assessor (CAMA) baseado na Especificação de Competência do Fórum Global sobre Manutenção e Gestão de Ativos para um Auditor/Avaliador do Sistema de Gestão de Ativos ISO 55001.

Caso tenha alguma dúvida sobre esse tema, deixe o seu comentário. Estamos aqui para compartilhar conhecimento e trocar experiências!

Tags: ServiceNow, Snow Software, Gestão de Ativos de Software, Software Asset Management, SAM, FINOps, ITAM, ITSM, Flexera, Cloud Management framework de governança, asset management system, software licensing, software asset, software asset management, lifecycle management, norma isso, redução de custos, fale conosco, sustentabilidade organizacional, partes interessadas, ativos definindo, práticas de gestão, ativos da sua, empresa, auditoria interna, desempenho de ativos, melhores decisões, normas internacionais, organização internacional, diversos setores, objetivos de negócios, canal de ética, gestão de ativos eficiente, processos de negócios, redes sociais, tomada de decisões, gestão de manutenção, responsabilidade social, ciclo de vida, desempenho financeiro, objetivos organizacionais, gestão de facilities, custos riscos, melhorar processos, modelo de referência, ativos nas organizações, gestão de frotas, gestão da manutenção, processo de gestão, certificação isso, melhores práticas, segurança da informação, tomada de decisão, série iso.

Posts Relacionados